Eu resolvi que todas manhãs só serão minhas, 
sei que falta amor por onde passo...

Vi que meu sorriso é a ilusão que te contagia,
que preciso estampar minha falsa alegria
para tê-lo em parceria...

Sou matiz de perfumaria, já ganhei
e perdi minha carta de alforria, 
já me travesti de rainha...

 Na alegoria da vida, já vivi a tua fantasia
viajei na tua melancolia, 
tudo por falta de amor por onde passo...

Esse amor que sustenta meus passos
e me arrepia, causa da minha agonia
é tão vivo qual a relva das manhãs ensolaradas,
do nosso abraço, antes, eterna sintonia...

Outrora, já me senti amada...

E, agora, talvez por cansaço,
ando por aí a vagar sem sorrir,
nem chorar, sem rancor, 
sem amor, sem compasso,
tudo por falta de amor por onde passo...  

Sou a matriz, sou o mel,
sou o asco, sou o fel,
já deixei de ser atriz, 
porém me sinto bem, 
estou ciente que o passado passa.

 Espero, porém, não sentir
tanta falta de amor por onde passo
até me encontrar com alguém
que sinta esse amor por onde passo...

Mesmo sabendo que
ninguém é de ninguém
e que nesta vida tudo passa...
 

 

12/08/2008

 

O envio que chega rapidinho !!!

| Home Voltar |
|
Fale comigo |
Adicione este site aos seus Favoritos

Desde 10.10.2007,
você é o visitante nº


Direitos autorais registrados®
Direitos autorais protegidos pela Lei 9.610 de 19.02.1998.